Notícias
Visita Da Madre Petra E Anna Alfreda As Comunidades Intercongregacionais
09/04/2019


 Queridas irmãs e leigos das congregações de Pinerolo, Chambery, Cuneo e Instituto.

 

Graça e paz!

                     Nossa Delegação recebeu no mês de março a visita de Madre Petra e a conselheira Irmã Anna Alfreda, a presença delas nos trouxe um vento novo de comunhão, unidade e de fraternidade. Queremos dizer-lhes um profundo obrigada, e manifestar nossa gratidão com autenticidade, que é muito mais que um sentimento ou uma emoção. Foram momentos de partilha, diálogo, escuta, visitas as nossas comunidades do Instituto e Intercongregacionais, além dos encontros com os leigos (a).

 

                  No dia 12 de março de 2019, desembarcamos em Santarém PA, era madrugada,  um vento sereno nos dava as boas-vindas a mim, madre Petra, Anna Alfreda e a Nilza, fomos bem acolhidas pela a  irmã Ana Clara e Padre Jonathan, durante a manhã, fomos visitar o administrador diocesano Padre Ordiley, partimos de lancha para a comunidade intercongregacional de Boa Vista do Cuçari. As maravilhas das paisagens amazônicas calavam as palavras, finalmente após algumas horas de  viagem avistamos irmã Jane que nós esperávamos com alegria, nos sentíamos em casa, com um jantar acolhedor e os cuidados de irmã Ignês, superamos o cansaço da viagem. Foram dias ricos de visitas aos grupos das Cebs, círculos bíblicos, partilha entre as irmãs, além de tantos leigos que vinham nos saudar e nas suas humildes mãos oferecia peixe, açaí, cupuaçu, farinha etc, uma generosidade que nos encantou.

                 

                     Esses dias nos deu a oportunidade de que a intercongregacionalidade nos faz crescer na unidade e diante dessas realidades, da carência da presença da vida religiosa, nos sentimos interpeladas como congregações: ‘Levanta-te, desce e vai ter com eles, sem hesitar, pois, fui eu que os mandei’ (At 10,20).

 Assim como os rios precisam continuar o seu percurso para mar, nós também continuamos o nosso percurso rumo a Pacaraima RR. Deixamos nossas irmãs Jane e Nilza (Instituto) Ignês (Chambery) Ana Clara (Cuneo), na certeza que Maria, José e Jesus cuidará de cada uma e que estaremos presentes na oração.

Ainda escuro continuemos a nossa longa viagem até Pacaraima RR, finalmente chegamos a Boa Vista Capital de Roraima, encontramos com a irmã Simone que chegava da Bahia para colaborar com a missão intercongregacional, juntamente com as irmãs Delcia e Ana Maria das irmãs de Chambery,  o nosso rosto já demostrava sinal de  cansaço, mais o nosso coração estava alegre cheio de perspectivas,  acolhida da irmã Ana Maria nos alegrou, e juntas  percorremos  mais 3 horas de carro até a comunidade das irmãs em Pacaraima.

 

                     Fomos recebidas por irmã Delcia, que nos esperava com um delicioso café fraterno; uma pergunta soava no meu coração porque o Senhor nos quer aqui...? Ainda não tenho a resposta. Para entendermos melhor o drama dos refugiados a Venezuela enfrenta uma violenta crise política, econômica e social, O êxodo dos venezuelanos afeta diretamente o Brasil, de maneira especial dois estados: Amazonas e Roraima. Pela proximidade das fronteiras, os imigrantes entram no país pelo município indígena de Pacaraima, em Roraima, cuja população local não ultrapassa os 12 mil habitantes. De lá, uma boa parte segue para Boa Vista, a menor capital em número populacional do Brasil. Irmãs gentilmente nos mostrou as realidades dos refugiados. Todas as manhãs as 5hs ajudávamos  a servir no café fraterno paroquial, onde 800 ou mais pessoas vinham pegar um pão e um  copo de café, podemos ver no rosto das pessoas a dor do abandono da falta de esperanças, com fome, famílias e mulheres grávidas vivendo nas ruas, desnutrição, crianças fora da escola, insalubridade nos abrigos, e xenofobia, esta é a condição dos imigrantes que estão vivendo precariamente no norte do país.

                       Em meio a esta gritante realidade também vimos e ouvimos com alegria e esperança muitas ações fraternas e solidárias de pessoas, igrejas e instituições civil; e uma grande abertura e dedicação da Igreja local, assumindo de forma prioritária o serviço aos imigrantes e refugiados.

Expressamos também nossa gratidão a cada congregação que acredita nesta missão e que colabora seja enviando irmãs ou seja financeiramente.

 

Agradecemos a Deus por celebrar o dia 19 de março Festa de São José neste chão, penso que as últimas palavras do evangelho do dia permanecer no nosso coração “Quando acordou, José fez conforme o anjo do Senhor havia mandado...” chegou a hora de retornar a Bahia, partimos com a irmã Delcia e Simone, para Boa Vista, onde conhecemos o bispo Dom Mario que gentilmente nos recebeu.

Confiamos nas mãos de Deus as nossas irmãs Simone, Delcia, Ana Maria, Jane, Nilza, Ana Clara e Ignês.  Que São José interceda junto a Deus por todos/as a fim de que nos empenhemos firmemente nessa missão de “acolher, proteger, promover e integrar”.

Saudações fraternas irmã Graça ISJ










Galeria de fotos